segunda-feira, 19 de outubro de 2009

As vezes é melhor o silencio do que parvoices...

Podemos ter números de portas ao contrario, podemos ter fontes caricatas nos museus (era o que se usava na altura, tal como agora se usam os meninos de pilinha de fora a fazer chichi), podemos até eleger Salazar como personalidade importante, mas não temos favelas que abatem helicópteros aos tiros e onde as crianças já nascem de arma na mão e a dizer palavrões. Sim temos os bairros sociais, também há confusões mas até estes parecem elites do melhor que há quando vemos noticias como a de ontem!!!!

9 comentários:

Aninhas disse...

E mais nada... Muito bem dito.

Bjx

Lia disse...

mas mesmo assim, eles acham que nós é que somos os "esquisitos da terrinha"....

Olhos Dourados disse...

Pois, ao menos isso!

Bloguótico disse...

Bolas... até parece que algum brasileiro falou mais do que devia sobre os portugueses! LOL

Galo disse...

Comparada com as favelas, a "nossa" Quinta da Fonte é a Quinta da Marinha.
A tipa só demonstrou a quantas milhas de Portugal está o Brasil, em termos culturais.
Os tipos escrevem de um modo que parece nunca terem frequentado uma escola.

Me disse...

Eles estão a anos luz de Portugal e dos portugueses... em cultura, em desenvolvimento e principalmente, em educação!

TiTó disse...

Muito bem dito. As imagens que vimos ontem impressionam qualquer um . . .
´
bjs

Cat disse...

Nem mais!

Euzinha disse...

Para não falar da ignorância da pessoazinha em questão…
Vem para cá a bela da brasileira (que de outras tantas vezes passadas veio a receber chorudas importâncias para apresentar Globos de Ouro e tal) gozar com um número de polícia (3) colocado ao contrário sobre uma porta lisboeta…
…fartou-se de gozar a senhora.
Burra, em vez de gozar, já que não sabia o porquê da colocação ao contrário deveria ter perguntado.
Será que Maçonaria lhe diz alguma coisa?
Eis aí a resposta relativamente a esta gozação da dita senhora…