quarta-feira, 2 de maio de 2012

E porque eu não sou excepção...

... venho aqui falar do Pingo Doce. Já sabia da promoção desde ontem, quando por acaso vi uma noticia sobre o assunto no facebook, mas ainda não estava nada confirmado, desde logo esqueci o assunto. Só hoje, quando o M. e o meu pai comentaram que o dito estabelecimento estava cheio e que deviam estar a dar rebuçados é que voltei a pensar no assunto. Desde logo disse que não ia participar desse festival, que para esse peditório eu não contribuía, porque não me dou bem com multidões, porque detesto filas para pagar seja o que for, quanto mais estar TRÊS horas a espera para pagar e assim como assim já tinha feito as compras do mês. Acho que realmente foi uma grande campanha de marketing por parte da empresa, mas também acho que a escolha do dia de arranque para esta campanha foi infeliz. 
Numa altura em que cada vez mais vemos os nossos direitos como trabalhadores irem por agua abaixo, fazer este festival no dia dedicado ao trabalhador, não foi mais que uma simples provocaçãozinha, que infelizmente muitos não souberam entender. Eu compreendo as promoções, também eu as procuro sempre, principalmente agora que cada vez estamos pior, eu compreendo que um desconto de 50% nas compras do mês seja um grande atractivo, mas será que valeu mesmo a pena andarem quase ao estalo em plena superfície comercial só por causa de meia dúzia de rolos de papel higiénico?? Eu acho que não... se fizeram esta promoção hoje, porque não baixar os preços durante os outros dias?? Se há margem para hoje, porque não há nos outros dias?? Dá que pensar...


Da minha parte vai aqui um abraço solidário para os trabalhadores destas superfícies que trabalham feriados e domingos, para que quem não os trabalha (como eu) possa fazer as suas compras descansadamente. Por mim nestes dias fechavam, estas pessoas também gostam de passear, também tem família e antigamente também se vivia sem os supermercados abertos. É um pensamento retrogrado? É... mas como já trabalhei num hipermercado sei bem dar o valor, e o que se ganha não paga muitas vezes os sacrifícios de passar a pascoa ou datas festivas a trabalhar!

4 comentários:

Quel* disse...

Não vejo isso como uma provocação aos trabalhadores. Parece-me que foi feito ontem por ser feriado, por a maior parte das pessoas estarem em casa, certamente que a afluência foi maior do que se fosse num dia de trabalho normal.
Quando aos trabalhadores do pingo doce, terem o trabalho nesse dia ou em outro qualquer parece-me um bocado irrelevante.

Evy Percebes disse...

Tens TODA a razão!
Para mim as grandes superfícies deviam estar fechadas, pois nós que trabalhamos nelas também devíamos ter direito a estar em casa a descansar.
Enfim...
Beijinhos

Pipa disse...

Eu entendo como uma provocação pelo simples facto de que estes trabalhadores abdicam (porque assim o são obrigados) da Pascoa com a familia porque lhes é dado o 1º de Maio. Acontece que este ano, nem Pascoa, nem 1º de Maio.
Alem disto, os feriados nem são assim tão bem pagos como a grande maioria da população pensa, muitas vezes recebem 10 ou 20€ a mais, mas também acabam por ficar mais tempo, isto para não entrar pelo dia de compensação extra a que deveriam ter direito e não tem (sim... NÂO TÊM), acontecendo até muitas vezes o feriado que não é trabalhado contar como uma das duas folgas semanais a que tem direito...

Pérola disse...

Conseguiste escrever duma forma desfetada e sem tendências. Finalmente uma abordagem calma.
Irei falar do assunto quando estiver esquecido. Parece que não temos problemas maiores a preocupar-nos.
Um beijinho