terça-feira, 17 de abril de 2012

O M. ligou-me a prevenir que poderá vir a ser preciso na missão na Guiné. Da minha parte ainda estou em choque e a pensar seriamente em ir acampar a porta da base aerea e ai de quem o levar de lá.

3 comentários:

L. disse...

Humm... é um aperto, mas é para isso que os militares (e afins) servem, além de muitas outras coisas, claro.
Na minha família há muitos! E todos já andaram em missões, não é à toa que a minha mãe é de Angola :)

Marta disse...

Bolas :(
Eu cá já estaria a trepar paredes.

belle du jour disse...

não é fácil! vive-se com o coração nas mãos.