terça-feira, 14 de dezembro de 2010

A minha primeira Multa

Era uma vez um carro, o meu. Esse carro transportava todas as terças feiras de manhã a sua excelentíssima condutora, eu, até a cidade universitaria e aí se via obrigado a palmilhar todos os buraquinhos que encontrava para estacionar de forma gratuita. Um dia, hoje, esse carro estacionou num sitio onde habitualmente estão outros conterrâneos estacionados porque não tem traço amarelo no chão, nem sinal a vista e também não estorva ninguém. A condutora foi a sua vida e quando, quatro horas mais tarde, volta depara-se com um c****** de um ferro amarelo nas rodas e auto-colante tamanho gigante no vidro com a informação para telefonar para a esquadra. A condutora, como não tinha saldo no telemóvel, f***** da vida, voltou a faculdade para o carregar a fim de realizar a importante chamada para os c***** dos policias. Chegada novamente ao carro, eis que lá estão eles, mal estacionados (mas eles não faz mal não é??) e então a condutora, eu, dirige-se a eles e amavelmente refere que é dona do carro e entrega os documentos. É aí que a coisa começa a descambar. Visivelmente atrasada para chegar ao trabalho, os C****** dos policias ainda dizem que "se quiser pode ir levantar o dinheiro primeiro, é que ainda tem três pessoas á sua frente" e a condutora irritada como o c****** vai. Mais uma viagem ao multibanco da faculdade, sessenta euros a menos na conta e a condutora volta aos policias. Quarenta e cinco minutos depois é finalmente atendida. É lhe explicado todo o processo de pagamento, assinados os papeis e "passa mas é para cá o dinheiro", num tal de mais dez minutos. Posto isto um dos policias dirigiu-se então ao carro para o desbloquear enquanto a sua condutora continuava na ladainha dos pagamentos. Terminado tudo isto e livre do ferro amarelo, o carro e a condutora seguiram viagem e ficaram ("dentro do possível do dia de hoje" - palavras do c***** do policia) felizes para sempre.

Moral da historia:
  • Senhores guardas, não percebo porque é que me multaram ali, havendo mais a frente três carros estacionados dentro da curva.
  • Continuo a não perceber porque é que os pagamentos são obrigatoriamente em dinheiro, havendo na carrinha uma maquina multibanco.
  • Obrigadinha, mas mesmo muito obrigadinha, pela minha prenda de anos. Se havia a possibilidade de quinta feira me presentear de forma exclusiva para mim, toda essa remota hipótese foi deitada por terra graças aos senhores.
  • Se não querem que o pessoal estacione ali, então alguém que arranje forma de se estacionar gratuitamente noutro lado, é que não sei se se aperceberam, mas tratam-se de estudantes, que a ser como eu, só vão para a escola de carro por necessidade e não por comodismo.
  • E aconselho a não se despedirem das pessoas com "um resto de bom dia dentro dos possíveis" e um sorriso na cara, porque arriscam-se a ver pessoas em fúria atrás de vós e depois não se queixem!

1 comentário:

Cuore disse...

Bem, mas que dia.. Eu sempre que os vejo à minha frente morro de medo que me multem ou impliquem com alguma coisa.. Mas esses policias foram muito estúpidos, ainda para mais despedem-se daquela maneira..